Chamada de textos | Existe filosofia europeia? (Apenas respostas erradas)

Propomos olhar a história da filosofia com esse desprendimento e/ou deboche, de modo a possibilitar outros modos de ver

Será que tem mesmo filosofia na Europa? | imagem: Bing IA

Recebemos até o dia 10 de novembro de 2023 textos para o encarte “Existe filosofia europeia? (Apenas respostas erradas)”, que será publicado junto à edição dezembro/23-fevereiro/24 da revista.

A temática evoca a eterna pergunta sobre se há filosofia ou filósofos no Brasil (debate abordado na Úrsula por Lucas Nascimento), colocando a questão pelo avesso e a temperando com a ironia de uma brincadeira típica da internet, que consiste em postar uma imagem de um objeto ou frame de um filme etc., e questionar coisas como “o que é isso?” ou “o que está acontecendo nessa cena?” – pedindo tudo, menos exatidão. É um jogo, é um improviso humorístico, é um convite ao absurdo, é só um meme.

Propomos então olhar a história da filosofia com esse desprendimento e/ou deboche, de modo a possibilitar outros modos de ver. Os textos podem ser tanto de humor quanto sérios (e há casos nos quais a seriedade é o que produz a graça…). Referências de estilos para esses textos podem ser a obra de Machado de Assis (por exemplo, O Alienista), As Viagens de Gulliver, de Jonathan Swift e o Cândido, ou Otimismo, de Voltaire (desses últimos, não garantimos a qualidade, pois são europeus), entre outros.

Não há restrição de gênero: avaliaremos artigos de formato acadêmico, ensaios, diálogos, contos, crônicas, aforismos etc. Nos surpreenda. Os textos em geral devem ter pelo menos cinco mil caracteres com espaços, sem limite máximo (de acordo com a inventividade do material, podemos também ignorar o limite mínimo).  Após o aceite, será iniciado processo de edição e revisão junto aos autores.

As participações devem ser enviadas por este formulário. Como em divulgação anterior foi informado um e-mail da edição para envio, aceitaremos também por esse meio, mas dê preferência ao formulário.

Este será o terceiro encarte realizado pela Úrsula. Antes, publicamos “Então é isso o novo normal?” e “Sob a sombra das chuteiras“.

Compartilhe esta postagem:

Participe da conversa